PREENCHIMENTO FACIAL - OLHEIRAS

sábado, 29 de outubro de 2016


Os olhos representam a região de maior expressão da face e por isso chamam muito a atenção, principalmente quando ocorrem alterações no local que remetem a sensação de envelhecimento, cansaço, que são as famosas "olheiras".

As olheiras são muito comuns e são queixas frequentes nos consultórios de cirurgia plástica e essa procura tem sido cada vez mais não só por pessoas com uma certa idade, como também por jovens preocupadas com seu visual e bem estar. As olheiras podem ser temporárias ocasionadas pela falta de sono, excesso de bebidas alcoólicas, entre outras; ou podem ser persistentes, em razão de outros fatores, incluindo genéticos, se caracterizam pela cor escura ao redor dos olhos, mais precisamente nas pálpebras. Elas podem ser causadas por:

1 - Excesso do pigmento melanina nas pálpebras, que se manifesta clinicamente pela cor amarronzada. É comum em raças mediterrâneas e há fator hereditário: às vezes várias pessoas da mesma família podem apresentar a mesma pigmentação.

2 - Aumento dos vasos sanguíneos na área. Quando os vasinhos dilatam, provocando telangiectasias, a cor fica mais avermelhada. Isso pode ser visto na região mais interna da pálpebra inferior, mas há casos em que as veias estão aumentadas, então a cor da pele fica azulada.

3- Afundamento do sulco nasojugal, que é a região entre a pálpebra inferior e a bochecha. Isso provoca sombras na área, agravando o aspecto das olheiras. O que também pode acontecer é que o sulco esteja muito fundo ou pareça estar mais fundo pela projeção das bolsas de gordura, sendo este problema um dos mais frequentes.



De acordo com a causa  e com o tipo de pele e formato da região periorbicular, existe uma modalidade de tratamento mais apropriado ao caso.
Sendo assim, tratamento deve ser baseado no sub-tipo da olheira. Para olheiras causadas pelo depósito de melanina, os seguintes tratamentos podem ser aplicados: peelings químicos (fenol, ácido tricloroacético), ácido retinóico, clareadores tópicos (hidroquinona, ácido kójico),  luz intensa pulsada e lasers cujo alvo é a melanina , lasers ablativos e não-ablativos, dentre outros.

No caso de olheiras com aquele sulco/ depressão infrapalpebral, que dá a sensação de cansaço e forma uma sombra local, o mais recomendado para o tratamento local, é o preenchimento com ácido hialurônico.

O preenchimento facial é o procedimento mais indicado porque o objetivo é elevar esta região mais profunda, minimizando as olheiras. Antes da  aplicação do ácido hialurônico, pode -se usar  um creme anestésico  nas pálpebras inferiores, por 30 minutos antes do procedimento, para que a paciente tenha um maior conforto na aplicação.

O procedimento é rápido, realizado em consultório,praticamente indolor, normalmente é feito por meios de microcânulas aplicadas de forma mais superficial ou profunda, de acordo com a densidade da substância. O retorno às atividades é imediato, assim como o resultado. O efeito dura aproximadamente um ano, pois a maioria dos produtos é reabsorvida pelo organismo, como é o caso do ácido hialurônico, a substância mais utilizada para a prática.

Atualmente o ácido hialurônico (AH) é o agente mais seguro e mais utilizado em preenchimentos cosméticos, sendo bem tolerado e promovendo bom resultado estético.Raramente apresenta efeitos adversos graves, e a maioria de suas complicações desaparece quando o produto é degradado.  Pode ocorrer devido ao procedimento de aplicação pequenos hematomas no local e edema nos dias subsequentes, mas que normalmente desaparecem em alguns dias após a aplicação.

Recomendações e cuidados pós aplicação:
1- Evitar ficar com a cabeça inclinada para baixo.
2-  evitar fazer exercícios rigorosos no dia da aplicação.
3- Pode-se usar uma pequena compressa gelada local.
4- No dia seguinte usar filtro solar.

A região periorbital, no entanto, apresenta características anatômicas peculiares para a realização de preenchimento. Há a necessidade de se conhecer muito bem  a anatomia local e possíveis complicações.Todo processo pré tratamento, exige uma avaliação criteriosa do paciente, onde o médico vai poder identificar a causa da olheira, o tipo de pele da paciente e o melhor produto e tratamento individualizado. Portanto deve ser feito antes uma avaliação por uma médico  cirurgião plástico especialista na área , que seja familiarizado com a anatomia local e que tenha experiência com a aplicação dessa substância.

Por Dr. Geyson Sarmento
http://www.geysonsarmento.com.br
FOTOS: Reprodução

Nenhum comentário :

Postar um comentário