PLANEJAMENTO X TRATAMENTO INDIVIDUALIZADO NO USO ESTÉTICO DE TOXINA BOTULÍNICA A

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2022

Imagem: Reprodução

No post de hoje quero falar sobre um estudo recente realizado pela Dra Bruna Bravo que conta sobre a importância de um planejamento e tratamento individualizado no uso da  toxina botulínica A. Eu sou fã do uso para fins estéticos de uma forma leve e ao mesmo que realce a beleza do paciente.


Separei abaixo, alguns pontos importantes do estudo para conhecimento de vocês. 


  • A injeção de toxina botulínica A continua sendo o principal procedimento estético não cirúrgico realizado em todo o mundo, com uma alta taxa de eficácia e satisfação do paciente1,2. Conforme aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration, EUA) e a ANVISA no Brasil, as doses para o uso estético da toxina botulínica A podem variar de acordo com a área tratada e a contração muscular3,4.

 

  • A Dra Bruna Bravo conduziu um estudo (publicado em 2021), cuja conclusão é que a dose de tratamento com toxina botulínica A deve ser ajustada ao longo do tempo, pois, com o envelhecimento, as necessidades de cada paciente modificam e, em algumas áreas, pode requerer menor dose, enquanto em outras, maior dose.

 

  • Estudo realizado com 389 mulheres - faixa etária de 27 a 74 anos, sendo que 50% delas tinham entre 38 e 58 anos.

 

  • O estudo avaliou se a idade das pacientes influencia significativamente a dosagem nas áreas tratadas5 e comprovou com dados a importância da individualização.

 

  • Dra Bruna Bravo explica que foi levada em consideração as particularidades musculares - influenciadas pelo sexo, idade e variação individual - e cada área da face avaliando como os músculos se comportavam em repouso, em animação normal e durante a contração máxima.

 

  • Foi realizada uma extensa análise retrospectiva dos prontuários das pacientes tratadas com toxina botulínica A (da marca Botox®, Allergan) para o terço superior da face pelo período de dois anos. Todas foram tratadas em um único centro e pelo mesmo médico e foi feita a análise complementar na visita de revisão e a análise estatística dos dados.

 

Os principais resultados

 

  • A dose de toxina botulínica A a ser injetada no paciente depende da área específica da face e das características dos músculos envolvidos, incluindo suas massas.

 

  • Por sua vez, a massa muscular é influenciada pelo sexo, idade e variação individual.

 

  • A dose necessária e os locais a serem injetados também são baseados em uma avaliação de como os músculos se comportam em repouso, em animação normal e durante a contração máxima.

 

  • A espessura da pele e do tecido subcutâneo podem contribuir para a definição da dose a ser injetada, pois diminuem com o envelhecimento. Deve-se avaliar cuidadosamente, visto que baixar dose pode impactar a longevidade da terapia.

 

  • Como as características da área periorbital (olhos) em pacientes mais velhos são músculos ativos, tecido de gordura subcutâneo esparso e derme atrófica, o tratamento dessas rugas é mais complexo e deve estar associado a preenchimentos de ácido hialurônico.

 

  • Embora haja consenso sobre as sugestões de doses pré-estabelecidas, o tratamento deve ser individualizado, respeitando as características de cada paciente.

 

  • A dose de tratamento deve ser ajustada ao longo do tempo, pois, com o envelhecimento, as necessidades de cada paciente modificam e, em algumas áreas, pode requerer menor dose, enquanto em outras, maior dose.

 

  • Pode ser necessária a complementação com outras técnicas em alguns casos, não somente para manter a eficácia do resultado, como também garantir durabilidade.

 

Antes, usava-se doses iguais e os mesmos pontos de tratamento em todos os pacientes, porém a técnica evoluiu e hoje entende-se que um bom planejamento aliado ao tratamento individualizado de acordo com gênero e faixa etária é o caminho certo.

 

Referências:

1. The American Society for Aesthetic Plastic Surgery’s Cosmetic Surgery National Data Bank: Statistics 2018. Aesthet Surg J 2019;39(Suppl_4):1–27.

2. Trindade de Almeida A, Carruthers J, Cox SE, Goldman MP, Wheeler S, Gallagher CJ. Patient satisfaction and safety with aesthetic onabotulinumtoxinA after at least 5 years: a retrospective cross-sectional

analysis of 4,402 glabellar treatments. Dermatol Surg 2015;41 Suppl 1:S19–28.

3. BOTOX®. Allergan Pharmaceuticals Ireland; 2011. Bula do medicamento aprovada pela U.S. Food and Drug Administration.

4. BOTOX®. Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda; 2019. Bula do medicamento aprovada pela Anvisa.

5. Bravo BS, Carvalho Rd, Gallo BF, Bravo LG. A retrospective study supporting the importance of individualizing the dose of botulinum toxin according to the age. J Cutan Aesthet Surg 2021;14:82-6

Nenhum comentário :

Postar um comentário